UP


Permitido sonhar. Fui com a minha filha ao cinema ver este admirável filme. Realmente a Pixar faz excelentes filmes para crianças, além da técnica de animação, os argumentos são perfeitos. As histórias amarram-nos até ao fim e onde valores como o amor, amizade, companheirismo, etc. estão muito presentes. Ficamos com uma vontade de partir para aventura. O pior são as pipocas.

José Gil – Em Busca da Identidade

gilJosé Gil, mais uma vez, reflecte um Portugal contemporâneo, um Portugal pseudo-reformador que apenas cumpre os padrões de “lá de fora”. Um Portugal que perdeu de novo a utopia e que criou formas de hierarquização. Além dos conceitos de subjectivação e biopolitica, ele relaciona esses conceitos com a governação actual de José Sócrates revelando sempre a atitude critica que já conhecemos dos artigos de opinião. Ilustra muitos dos conceitos com as pseudo-reformas do Ministério da Educação. Um dos aspectos que foca é a da avaliação. A avaliação como forma de submissão, de “desdobragem” – uma espécie de  morte da alma, acho eu. Um dos aspectos que achei interessante, neste livro, foi a analise do mediatismo de Sócrates, que a inaugurar uma obra, estabelece uma relação simbólica com essa obra fazendo crer que foi fundamental para o “caminho de um Portugal moderno”, como se essa fosse a única via para tal, um caminho sem ideologias, sem utopias, seguindo o que se faz “lá fora”. Vale a pena ler este livro do mesmo autor de “Portugal Hoje e o Medo de Existir”

usted no habla español? ¿verdad?


Limites do controle é um filme essencial, foi pelo menos para mim. Aparentemente um filme de um homem que é contratado para matar outro, no entanto é mais do que isso, é um ensaio sobre arte, é o percurso de um homem para eliminar o seu outro eu – esse novo bárbaro. Para mais é uma visita a Espanha (Madrid e Sevilha), ao museu rainha sofia, à luz nesta parte a sul da península, das ruelas, da arquitectura, das cores mediterrâneas, à pintura, ao flamengo. Por todas estas razões e pela excelente fotografia este filme encheu-me muito bem.

António Câmara – Voando com os pés na terra

Ant_nio_Camara

António Câmara é chefe executivo e fundador de um empresa líder mundial em tecnologia e conteúdos (y dreams). Lançou agora um livro que são um conjunto de artigos de opinião que sairam em jornais. Com um texto simples e fluido compreendemos como este homem e a empresa que lidera funcionam, parece-me que podemos aprender com ele e escuta-lo com atenção e sem preconceitos. Do que li (ainda não li o livro todo – leitura feita nas visitas à livraria) relevo aqui alguns aspectos para uma maior competitividade do pais:

1. o paradigma da sociedade do conhecimento que é fundamental na nova economia – mais do que vivermos numa economia que vive dum crescimento de riqueza é necessário viver numa economia que vive do crescimento intelectual, fazendo parte disso o conhecimento e a prática das leis do mercado, sendo fundamental que os alunos das universidades saibam gerir e formar empresas dominando o “abc” do sistema económico.

2. criar um sistema de ensino que vive da resolução de problemas mais concretos e onde a criatividade é fundamental citando Sir Ken Robinson.

3. saber trabalhar, mudar mentalidade para sermos mais competentes nos procedimentos de trabalho (para termos mais tempo livre, digo eu). Contra mim falo, nós os professores precisávamos de aprender a gerir as reuniões, aquelas reuniões de professores demoram uma eternidade, é o pior que o ensino tem. Não é um mal só do ensino, esta impregnado por todo o lado, mesmo nas empresas mais competitivas. Aquelas reuniões deviam ser mais estimulantes intelectualmente, devíamos saber resolver problemas de uma forma mais criativa e preencher menos papeis (problema provocado tanto pelo ME como pelos próprios professores).

Dificuldade de governar – Bertold Brecht

brech

1

Todos os dias os ministros dizem ao povo
Como é difícil governar. Sem os ministros
O trigo cresceria para baixo em vez de crescer para cima.
Nem um pedaço de carvão sairia das minas
Se o chanceler não fosse tão inteligente. Sem o ministro da Propaganda
Mais nenhuma mulher poderia ficar grávida. Sem o ministro da Guerra
Nunca mais haveria guerra. E atrever-se ia a nascer o sol
Sem a autorização do Führer?
Não é nada provável e se o fosse
Ele nasceria por certo fora do lugar.

2

E também difícil, ao que nos é dito,
Dirigir uma fábrica. Sem o patrão
As paredes cairiam e as máquinas encher-se-iam de ferrugem.
Se algures fizessem um arado
Ele nunca chegaria ao campo sem
As palavras avisadas do industrial aos camponeses: quem,
De outro modo, poderia falar-lhes na existência de arados? E que
Seria da propriedade rural sem o proprietário rural?
Não há dúvida nenhuma que se semearia centeio onde já havia batatas.

3

Se governar fosse fácil
Não havia necessidade de espíritos tão esclarecidos como o do Führer.
Se o operário soubesse usar a sua máquina
E se o camponês soubesse distinguir um campo de uma forma para tortas
Não haveria necessidade de patrões nem de proprietários.
E só porque toda a gente é tão estúpida
Que há necessidade de alguns tão inteligentes.

4

Ou será que
Governar só é assim tão difícil porque a exploração e a mentira
São coisas que custam a aprender?

Licínia Quitério

Transpira palavras, poemas, textos. Escreve com tudo, tem sido das minhas poetisas portuguesas que mais admiro. Vale a pena visitar. Há dias no facebook partilhou-nos este poema.

http://sitiopoema.blogspot.com/

SOBREVIVOS

Não sabemos a dor dos peixes
quando seca o lago em pleno verão.
Premonições tiveram
e amorteceram cintilações nocturnas.
Enfeitaram de escamas o relevo dos fundos
a assegurar refúgio às últimas frescuras.
Por entre o lodo chegaram
outras guelras, outras mãos
e o novo tempo lhes chamou anfíbios.
Têm o ar robusto dos sobrevivos.
Desconfiam da firmeza da terra.
Vão pedindo à chuva notícias do lago.
Só ela sabe quanta devastação.

Licínia Quitério
licíniaquitério

Alentejo

DSCF6829

Estive fora uns tempos, umas férias, como as praias estavam saturadas, procuramos algo mais interior. Castro Verde, num aparthotel de 2 estrelas (um luxo para mim, turista de uma estrela). Passeamos, mergulhamos, vimos o por do sol do Alentejo, que tem um céu e uma terra enormes.

DSCF6620

DSCF6695

DSCF6773

DSCF6803

DSCF6813

DSCF6855

DSCF6897

DSCF6983

O blogue da minha irmã

A minha irmã iniciou um blogue. Na verdade algo aconteceu na vida dela que lhe criou a necessidade de fazer este blogue. Apresenta todo o processo de tratamento dela, as angustias da espera, as dúvidas…. Se alguém já passou por alguma situação semelhante, por favor comente, as dúvidas neste momento doem muito, e a espera é enorme.  http://isabelrodriguescarvalho.blogspot.com/
blogueisabel