Sobre o Asterix

Perdi o rasto do Asterix. Não sei onde anda. Foi visto pela última vez quinta-feira às 8h30m na Quinta do Picado. Andei à procura dele intensivamente durante um mês. Coloquei mais de 500 cartazes nas ruas e cafés. Andei Kms. Perguntei às pessoas, andei pelos terrenos. O meu coração saltou muitas vezes quando sabia que ele estava perto. Pensava que o encontro seria simples (eu chamava e ele vinha), como aconteceu há uns anos com o Faial (um cão que nos acompanhou durante 14 anos). Mas não. Algo de estranho aconteceu. Muitas pessoas perguntam e estranham o comportamento do cão. Ele era bem tratado aqui em casa. Acho no entanto que raro são os donos que procuram como eu procurei. Não tenho possibilidades de procurar como aconteceu até agora, tenho que me concentrar na escola. Vou esquecer um pouco esta situação, de vez enquanto (quase todos os dias) dou uma volta pelos lugares que foi visto, falo com as pessoas para saber se elas viram.

Obrigado a todos que colaboraram na procura. O Emanuel, a Carla, o Simão, o Sr. António, a vizinha do Sr. António, os propriatários da Roda do Leme, a família da Póvoa do Valado, Sr. Emídio, A Rosa, A Dona Fátima, a Isabel Ribeiro, a Isabel Costa e muitos outros que me ajudaram  sem eu saber (muitos que me telefonaram).

bassa1
bassa2

Para ser menos doloroso arranjamos um substituto e companheiro de Asterix no caso dele voltar (ainda me resta uma boa esperança). Chama-se Bassa e veio de Vila Nova de Famalicão. É um cão muito hiperactivo mas com o convívio esta-se a tornar mais calmo. Agora os mesmos erros não se voltam a cometer. Estamos a isolar dois espaços para ele de forma a não haver o perigo de sair quando tiramos os carros. Todos os dias damos dois passeios com ele para conhecer o lugar. Ao fim de semana um passeio grande.

Anúncios

2 thoughts on “Sobre o Asterix

  1. Fico triste pelo Asterix e por vocês também porque deve ser realmente dolorosa esta separação. Quem sabe, pode ser que ele retorne a casa.
    Mas, de facto, algo de estranho deve ter acontecido, pois não é de todo um comportamento esperado.
    Não sei se é correcto ou não, mas nós nunca habituamos o nosso Mike a sair de casa sozinho. Sai de casa uma ou duas vezes por dia, mas sempre com trela e se, por alguma razão, o portão se encontrar momentaneamente aberto ele nem se aproxima.
    De qualquer forma, acho que fizeram bem adoptar o Bassa. Espero que corra tudo bem!

    Beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s