Serralves em Festa



Anúncios

Os Bichos

Esta actividade iniciou com a vinda da Marta Madureira à nossa escola. Além dos métodos, técnicas e abordagens que nos demonstrou deu-nos uma ideia: falou que ao ilustrar o Livro dos medos começou a imaginar os vários medos, a imaginar que eles podiam ser a mistura de vários bichos. Foi ai que iniciamos o nosso trabalho, começamos a imaginar vários bichos, cada um mais esquisito do que outro, com uma mistura de outros bichos e máquinas. Assim surgiu os bichos da turma 5ºL. São quase todos articulados. ver todos. A minha colega Rosabela foi excelente parceira neste trabalho, assim como a Rosário da unidade de Multideficiencia.

 

Bicho do João

 

 

Bicho do Filipe

 

 

Bicho da Diana

 

 

Bicho do Diogo

 

 

Bicho do Rafael Gomes

 

 

Bicho do António

 

 

Bicho da Inês

 

 

Bicho do Marcelo

 

 

Bicho do Joaquim

 

 

Bicho da Mariana

 

 

Bicho da Francisca

 

 

Bicho do Rafael Pereira

 

 

Bicho da Helena

 

 

Aprender a trabalhar com o Gimp

Às Sextas Feiras irei fazer um manual de aprendizagem do Gimp.
A. O Gimp é um software de manipulação e criação de imagens. Permite todas as funcionalidades já conhecidas no tradicional Photoshop mas com a vantagem de ser totalmente gratuito. Este Software tem uma conjunto de funcionalidade para uso profissional, no entanto, permite uma utilização para os menos entendidos. Entre as funções destaca-se a de recorte de imagens, colocação de elementos tipográficos, alteração dos tamanhos e formatos, manipulação de cores, alteração de claro escuro, etc.
1. Para acedermos a esta ferramenta, devemos, no browser da Internet digitar o seguinte endereço http://www.gimp.org/ Para se fazer o download do programa devemos carregar no botão “Download”

2. O reconhecimento do sisitema operativo é feito pelo site, fazendo de imediato a ligação para um servidor.

3. Após o download e a instalação iniciamos o software carregando no ícone respectivo (figura 1).

4. O software tem interface complexa com 3 caixas de trabalho (figura 2). Imaginamos estas caixas como a nossa mesa de trabalho, cada uma delas representa uma área especifica de trabalho.

5.Na caixa “Toolbox” é composta com os botões com as ferramentas. Para accionar qualquer ferramenta temos que carregar no botão respectivo. Todas as ferramentas têm um conjunto de opções e funcionalidades que podem ser manipuladas e encontram-se na farte inferior da toolbox.

6. Na caixa principal que nos é apresentada com o titulo “programa de manipulação de imagens”, após a abertura da imagens ao à criação da imagem nova fica com o título do nome do ficheiro. É a caixa da imagem e podem estar varias abertas – conforme o número de imagens que se tem abertas. Consideramos esta a nossa folha de trabalho. Encontramos neste espaço um menu onde se encontram muitas outras ferramentas.

7. A terceira caixa de trabalho é a das “Camadas, Canais, Caminhos, Desfazer – Pincéis, Texturas, Gradientes” . São outra ordem de ferramentas, podemos chama-las de equipamento. Tal como no guache, num lado estão os godés com  tinta mas no outro estão os pincéis.

(continua na próxima sexta-feira)

O Muro


Foram muitas as estratégias que os grandes interesses financeiros desenvolveram para negociar. Esta “crise” foi a machadada final. Este é o começo do fim do estado social. O começo do fim do Sistema nacional de Saúde. Depois o terreno ficará livre para entrarem os PPR, os seguros de saúde, etc. Os grandes investidores, a banca e as seguradoras esfregam as mãos de contentes, vão ter um negócio de milhões. O muro estará a ser construído, no futuro só alguns terão acesso aos cuidados de saúde, acreditem nisso. Mas acreditem não vai ser este o muro, vai ser alto e em betão.

Fátima, Futebol, Fado e Fome no tempo da globalização

Há quem diga que o circulo se fechou, que regressamos ao tempo da velha senhora. Mas estamos mais globais. O mundo vai-se render à aparição de Fátima, ao Futebol português e ao nosso Fado. A Fome é muito mais global, mas podíamos fazer desta nossa capacidade de contornar a fome uma imagem de marca. Acho que mais um esforço vamos conseguir formar o V Império que Padre António Vieira idealizava. Estou a ver ainda o McDonalds ir a falência por causa da tasca do Zé, uma cadeia de slow food que tem como pratos mais apreciados o Cozido à Portuguesa, o Bacalhau à Bráz ou o barato prato Açorda Alentejana.

Jornal Moliceiro

Finalmente saiu este número, de um parto difícil, fui busca-lo hoje à gráfica. O Jornal que já se chamava Moliceiro mas que sofreu algumas modificações gráficas. O meu trabalho é demorado, não sei fazer mais rápido, por vezes 50 horas não me chegam para o fazer, sem contar com contratempos. São 28 páginas, paginadas com afecto. Por outro lado chego à conclusão que é trabalho deitado fora, não há a valorização do jornal escolar. Espero para o próximo ano não estar metido nesta tarefa, já estou a ficar um pouco farto da tensão que o jornal provoca e são me caras as horas que perco no jornal (são horas minhas).


Área de Projecto

As Áreas de Projecto são sempre um penduricalho no currículo (nesse currículo cheio de remendos que temos hoje no ensino). Temos uma vez por semana, ritmo insuficiente para os alunos se envolverem a sério (quando estamos na semana seguinte eles nem se lembram do que fizeram na semana anterior). A chatear, está o facto de se inventar nas escolas umas temáticas muito interessantes (estou a ser irónico). Este ano, na minha escola, resolveu-se trabalhar o tema “2010 ano europeu de combate à pobreza”. Lindo! O que fazer com este tema? Tenho duas Áreas de Projecto. Diria “que dor de cabeça”, mas na verdade já não tenho dores de cabeça por causa disto, já são tantos os problemas na escola que este é só mais um. Verifiquei ao longo do ano que quase todos os meus colegas andam a mandar os alunos fazerem power points. Que bonito com as letras a voarem, de um lado para o outro, depois mais umas imagens, tiradas da net, com pessima resolução, esticadas, que bonito!

Eu e as minhas queridas colegas demos a volta à questão fazendo dois projectos que passo a descrever aqui:

Cozinhar sem esturricar:

“No âmbito da Área de Projecto, que tem como tema global da Escola 2010 – Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social, a turma do 5ºG escolheu como subtema “Gerir os recursos económicos na alimentação das famílias”. Esta ideia surgiu uma vez que, nos dias de hoje, as pessoas têm dificuldade em gerir o dinheiro na alimentação.

Este problema, que se enquadra no tema do combate à pobreza, apareceu depois de uma reflexão da turma sobre a forma de ajudar as famílias a alimentarem-se de uma maneira saudável, utilizando poucos recursos económicos. Escolhemos como título do projecto “Cozinhar sem esturricar”.

Para a execução deste projecto, precisámos de calcular as necessidades alimentares e os custos de todos os alimentos, inclusive os alimentos necessários à elaboração de pratos. Para darmos conhecimento do nosso projecto, criámos um blogue que se chama “Cozinhar sem esturricar” e tem a seguinte morada: http://cozinharsem.blogspot.com.”

Diana, André e Beatriz 5ºG

Respigar Imagens

“Significado de Respigar

Apanhar as espigas que os ceifadores não cortaram, ou que ficaram no campo depois da ceifa.

Apanhar áquem e álem; colligir; compilar: respigar notícias históricas.”

Novo Diccionário da Língua Portuguesa Candido de Figueiredo – 1913

Os alunos do 5ºL:

Passearam por Aveiro e procuraram imagens – Indícios de pobreza em Aveiro

Reflectiram sobre os lugares que visitaram

Fizeram textos procurando expressar o que sentiram

Pesquisaram textos que vinham ao encontro das suas vivencias pelos lugares

As Fotos são dos alunos e dos 2 professores (Tiago Carvalho e Isabel Ribeiro)