Coisas que fiz este ano lectivo como designer amador

Alguns dos meus produtos gráficos que fiz para a escola durante o ano lectivo de 2011/2012.

1º Cartaz para o Clube de Jornalismo

2º  Cartaz para concurso literário (que nunca aconteceu)

3º Cartaz para o projecto Pinta a Escola para uma Escola com Mais Pinta

4º Jornal Moliceiro 3 números (design, paginação e algumas fotografias)

5º Paginação, design e fotografias do livro “Pétalas de Alquimia” e cartaz de apresentação do livro

O Fim de E.V.T.

Depois de 19 anos de serviço na educação e do quadro de escolas há 18 anos, este ano pela primeira vez vou ter que concorrer, mesmo sendo do quadro de escola. A minha vaga foi aberta há 3 anos e nestes últimos 3 anos aposentaram-se 5 professores do meu grupo. Se não tivessem aberto vagas nas penúltimas eleições eu estaria no quadro do Agrupamento de Escolas de Ílhavo e com o meu lugar garantido no quadro mesmo nesta conjectura, mas o Governo do Sócrates resolveu abrir vagas numa dos períodos eleitorais. Por outro lado este PSD-CDS que chumbou em Assembleia da Republica o fim da área de projecto e a existência apenas de um professor em E.V.T. no Governo de Sócrates, quando iniciou a Governação resolveu tomar as mesmas medidas que e outras que levam para o desemprego muitos milhares de professores. Olha vejam:

Passos Coelho – Está aqui uma malta bestial – só falta dizer – quando eu for para o governo vou-lhes mandar todos para a rua.

A lebre e a tartaruga

Na última prova de BTT que participei aconteceram coisas um pouco desagradáveis. A primeira situação foi um empurrão que apanhei nos primeiro quilómetros da prova que quase me fez cair, geralmente as pessoas quando precisam de passar alguém avisam (esquerda, direita, meio) este indivíduo (que depois ficou bem para trás de mim resolveu empurrar) que feia atitude. Nesta prova fiquei em 171º, atingi sem perspectiva de ficar à frente de ninguém em particular mas de conseguir um bom tempo e de me superar a mim mesmo, consegui. No entanto alguém resolveu dizer que era impossível eu ter ficado à frente dele e só com batota é que eu chegaria a esse lugar. Esta pessoa nunca andou de bicicleta comigo, não conhece as minhas potencialidades, olha para mim com este aspecto desengonçado e fraco e acha que eu não posso estar à frente dele. Que feia esta atitude, que falta de civismo. Mas depois apercebi-me que infelizmente há muitas pessoas assim no BTT e na vida. São gente vaidosa que gosta de se encher, gosta de mostrar aos outros que se enche,  existe uma falta de humildade que lhes faz perder as provas para aqueles que aparentemente são mais fracos. Como a lebre e a tartaruga.

Felizmente existe o contrário, companheiros de BTT que tem um sentido de companheirismo e de amizade enorme, que sabem esperar pelos mais fracos e incentivar o esforço. Com esses vale a pena os passeios, vale a pena entrar nos eventos desportivos. Não estamos lá para ganhar, estamos lá para desenvolver a tartaruga que há em nós, com a humildade suficiente de conhecer as nossas limitações e com elas tornar possível o impossível e ganhar às lebres que andam por ai.

A prova como fiz a prova toda está no que o meu gps registou no percurso e pode-se ver que não houve atalhos apenas apresenta mais tempo do que fiz porque liguei uns 10 minutos antes e só guardei o percurso uma boa meia hora depois de ter chegado. http://connect.garmin.com/activity/196986329