Cubismo (1907-1914)

 

thumbnailImage

Les demoiselles d’Avignon de Pablo Picasso

  • O Cubismo foi um movimento pictórico que constituiu uma das primeiras vanguardas plásticas do século XX.
  • É considerado uma das raízes estéticas da arte abstrata.
  • Defendeu uma pintura pura, cerebral e conceptual que elaborou a reconstrução lógica e geométrica das formas da natureza e não a sua cópia.
  • Propôs novos modos de representação dos espaços e das formas com base na invenção plástica e em pressupostos teóricos-científicos como as novas geometrias não-euclidianas e as mais recentes descobertas da física (teoria da relatividade e o seu conceito de 4ª dimensão).
  • Foi um movimento que valorizou os aspetos técnico-formais e conceptuais da execução pictórica.
  • O cubismo tem como antecedentes Paul Cézanne e a sua concepção de pintura enquanto reconstrução lógica e geométrica da natureza.
  • Tem como inspiração a arte africana.
  • Os criadores do cubismo foram os pintores Georges Braque e Pablo Picasso, mais tarde seguidos por por um grupo de artistas que com eles contactou em Paris (Albert Gleiizes, Jean Metzinger, Francis Picabia, Juan Gris, Marcel Duchamp, Robert Delaunay, etc.)

 

O cubismo evoluiu em três fases distintas:

  • A 1ª fase foi a cezanniana (ou cezanista) que decorreu entre 1907 e 1909:
  • Práticas temáticas de paisagem e figura humana em ateliê;
  • Representação racional e geométrica das formas, delineadas por linhas de contorno quebradas;
  • Manutenção de volumes;
  • Existência de perspetivas múltiplas com desdobramento de planos;
  • Rostos simplificados ou em máscara;
  • Redução da paleta cromática;
  • O inicio desta fase deu-se com o obra “As meninas de Avinhão” de Picasso
  • A 2ª fase foi a fase analítica que foi a mais representativa do cubismo e decorreu entre 1909 e 1912:
  • Temáticas de atelier como retratos e naturezas-mortas;
  • Acentuada geometrização das formas desdobradas em múltiplos planos (pela prática de perspetivas múltiplas) totalmente achatados;
  • Anulação dos fundos (o motivo invade a superfície do quadro e confunde-se com os fundos);
  • Total bidimensionalidade;
  • Bicromia (uso exclusivo dos cinzentos e ocres);
  • Visão simultânea e multifacetada dos vários planos do motivo observado, fazendo com que o mesmo pareça implodido na tela e daí praticamente irreconhecível pelo observador;
  • Muitos classificaram esta fase do cubismo como abstrata, por não ser visível a figuração, no entanto não era essa a intenção dos seus autores.
  • A 3ª fase foi a fase sintética que se estendeu de 1912 a 1914;
  • Representa um recuo em relação à 2ª fase com o objetivo de tornar os motivos (naturezas-mortas, grupos de figuras e retratos) mais reconhecíveis;
  • As formas geometrizadas e planificadas mas estão agora representadas em menor número de planos ou pontos de vista;
  • Retoma-se a policromia;
  • Emprego de objetos reais tridimensionais (como areias, alfinetes, recortes de jornal, pautas de música, e outros) sobre a superfície do quadro, por meio de colagem.

A pintura cubista, embora de pouca duração, teve consequências duradouras. A sua plástica criou uma nova estética que influenciou a produção artística na escultura (aparecimento da escultura abstrata), na arquitetura, no design e no estilismo, marcou o Futurismo e acelerou o aparecimento do Abstracionismo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s